Loading...

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Cabo do Acelerador

Se tem uma coisa que constantemente quebra no fusca é o cabo do acelerador. Isto se deve a não se encontrar mais os cabos originais da VW e à péssima qualidade dos cabos paralelos. A flexibilidade é horrível, o que deixa o pedal do acelerador mais duro, forçando mais a trama de aço. Bom, o cabo arrebentou depois que deixei minha sobrinha na casa dela. Fiz um gatilho com um pedaço de arame e consegui chegar em casa. Novamente, recorri às aulas do mestre Tonella e, além de aprender como trocar o cabo, fui apresentado ao cabo artesanal feito por Marcelo. Um cabo super flexível e muito mais resistente (o criador dá garantia de 10 anos). Fiz a troca do cabo, mesmo assim, entrei em contato com o Marcelo e encomendei o novo cabo. Agora, é aguardar chegar para eu trocar novamente. Depois darei meu testemunho.


Forração da Mala

Uma vez, comprei um papelão que é usado para cobrir o porta-malas do fusca. O troço era vagabundo, feio, não tinha as medidas corretas e custava R$ 40,00. Resolvi comprar uma folha de compensado (R$ 5,00) e dois metros de tecido tipo lona para cobrir (R$ 20,00). Tirei as medidas, cortei, grampeei e pronto. Ficou muito melhor! Aproveitei e fiz também uma capa para o estepe.




Caixa de Ar

Notei um ruído estranho no carro e levei a um lanterneiro (Wagner) para checar. Foi aí que ele percebeu que as caixas de ar estavam amassadas, enferrujadas e se decompondo em alguns pontos. Então vamos gastar um dinheiro para consertar. Wagner soltou para a parte de baixo do carro e o remontou. Deu dó ver meu filho naquele estado. Fez um ótimo serviço, mas o ruído permaneceu. Resultado: era só a suspensão que precisava de óleo de mamona.








Vistoria

Pois é, mais um tempo longe do Blog e muitas coisas aconteceram. Finalmente levei o Fuscredo para ser vistoriado, mas nada pode ser simples. Depois que foi aprovado, surgiu um pequeno problema burocrático: a assinatura do antigo proprietário deveria estar com firma reconhecida. Por sorte, a proprietária era minha mãe. Então, do posto de vistoria de Nilópolis, me desloquei até Botafogo para encontrar minha mãe e fomos até o cartório. Firma devidamente reconhecida, voltei a Nilópolis e finalmente saí com o CRV em meu nome! Aproveitei para trocar as placas pelas novas refletivas.





segunda-feira, 1 de abril de 2013

Agora falta muito pouco!

Parece até mentira, mas, apesar de hoje ser 1º de abril, juro que é verdade. Finalmente, comprei os pneus para estrear as rodas de liga leve. Após muita pesquisa, decidi fazer o serviço na Gilson Pneus em Irajá, na Avenida Brasil. Fui o primeiro a chegar, antes da loja abrir, pois um funcionário me disse por telefone que aos sábados aquilo fica uma loucura. Apesar de ter sido o primeiro, fui o 11º a ser atendido, pois o atendimento variava de acordo com o tipo de serviço (além da troca dos pneus, também mandei fazer alinhamento, balanceamento e cambagem).










A parte elétrica do fusca sempre foi um problema. Por ser um sistema relativamente simples, muitos eletricistas fazem o serviço de qualquer jeito, pois qualquer gambiarra faz o carro funcionar. Tentei entrar em contato com o Rogério em Nova Iguaçu, mas é impossível falar com ele pelo telefone. Fui pessoalmente à oficina dele, mas ele estava em Angra dos Reis. Procurei o Alexandre (Alecar) em Anchieta (Alcoobaça) que só fez reclamar que estava sem tempo. Apesar disso, mexeu no carro, mas não resolveu o problema de forma eficiente (lanterna, seta, ré deixavam de funcionar de maneira intermitente). Decidi por conta própria estudar o assunto, aí encontrei os vídeos do Tonella no Youtube. O cara é fera! Aprendi muita coisa e, no dia seguinte, meti a mão e refiz a parte elétrica. Arranquei um monte de fio, troquei conectores, fusíveis... Por fim, o fusca estava quase todo pronto. Quase, pois resolvi trocar a chave do comando de seta que, apesar de novo, é horrível! Na ocasião, comprei da marca Diretec. Acabamento bruto, material molenga. Péssima qualidade. Fui na Mercúrio Auto Peças e, conversando com o prestativo atendente Claudio, encomendamos uma da marca Ospina. Chegou  no dia seguinte. A qualidade é muito superior.

Levei ao Alexandre que, novamente, disse que não instalaria por falta de tempo (e de boa vontade também). Ele me indicou um tal de Júnir, na Estrada Chrisóstomo Pimentel de Oliveira (Rio do Pau). Rapaz jovem e atencioso. Ajudei na instalação.

Com o Fuscredo agora pronto para a vistoria, faltava dar um tapa no visual. Lixei e pintei os cubos de azul luminoso e comprei material para fazer um forro para o porta-malas. Como nada disso impede de ser aprovado na vistoria, pretendo agendar para  quarta-feira, 10 de abril. Até lá então e boa sorte para nós!




terça-feira, 4 de setembro de 2012

Rogério

Quando eu procurava alguém para instalar o painel digital no Fuscredo, me indicaram o Rogério em Nova Iguaçu e me garantiram que ele era o cara certo para o serviço. Quem é esse tal de Rogério?! Se liga aí neste vídeo:

Painel Digital






Eis aí como ficou o painel digital devidamente instalado e funcionando. O visual do carro também melhorou bastante. Nestas fotos meu amigo ainda está com as rodas velhas, mas já comprei rodas novas de liga leve aro 14 e em breve vou comprar os pneus.